HOMEOPATIA E CARACTERÍSTICAS HOMEOPÁTICAS

HOMEOPATIA E CARACTERÍSTICAS HOMEOPÁTICAS
Rosmeire Paixão é Homeopata Clássica Terapeuta CONAHOM 1274 email: rosmeire.homeopatias@gmail.com

terça-feira, 16 de maio de 2017

MOFO E A PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA DA PENICILINA

Esse fungo também chamado de bolor, pode estar tanto nas paredes da sua casa, no chão da rua, no pão que está no seu armário de mantimentos, no seu cabelo, nas suas unhas e até nas frutas da geladeira.

Quando decidimos construir nossa vida, na periferia de nós mesmos.

Vilão e herói, eis aqui um sujeito estranho, admirado por muitos e um vilão desde sempre.
Sorrateiro e imprevisível, ele faz parte da vida de todos aqueles que não estão em redoma de vidro .... Ou seja, não adianta fugir dele. Mais dia, menos dia, ele vai bater a sua porta, cruzar as paredes, subir pelos muros ou mesmo, chegar com a chuva.

O curioso de tudo isso, é que o mofo traz uma estranha semelhança com o mundo já vivido em outras eras e em outros séculos, pertence a toda indicação feita a lugares languidos e por fim, não há nada, mas nada mesmo que o tire dos dias atuais.Ele está de volta, ou melhor, ele jamais foi embora.

Há uns 30 anos atrás, mais ou menos, ouvi de um professor, as portas de sua aposentadoria, já com 76 anos, a seguinte advertência: “Cuidem das doenças ditas: já erradicadas. Cuidem de que a miséria e a pobreza sempre trarão consigo novas formas dessas doenças. Cuidem do excesso do medo e dos remédios milagrosos. Cuidem de viverem de olhos abertos, direto no nascedouro do problema, o resto ou é estética, ou cinema. ” Ele estava certo. Não foi previsão do futuro, foi observação e cuidado com a vida alheia. Hoje andamos novamente de volta com a sífilis, com os carrapatos, com a leptospirose, com o mofo e com a lepra (hanseníase) e a tuberculose.

Onde ele está o MOFO? Em tudo. Simples assim. 


Esse fungo também chamado de bolor, pode estar tanto nas paredes da sua casa, no chão da rua, no pão que está no seu armário de mantimentos, no seu cabelo, nas suas unhas e até nas frutas da geladeira.
Gosto de mofo. Todo mundo sabe como é.
A toxicidade por mofo é considerada difícil de detectar e entra no hall das alergias. Daqueles testes que fazemos e que dá a tudo.
Umidade e calor, esses são dois aspectos físicos e internos aos quais precisamos observar. O mofo cresce exatamente aí. Como eles não andam sozinhos, precisamos nos ater as bactérias, um prato cheio para as infecções que jamais vão embora.

Sintomas mentais de PENICILLINUM

1 Depressão psíquica que piora pela manhã; tudo é triste.

2 Atividade cerebral incrementada, seguida rapidamente de considerável astenia e obscurantismo intelectual.



Rinite, sinusite, tosse, asma – para quem já sofre desses desequilíbrios, fica complicado diferenciar os sintomas, mas, eles podem ser a própria deficiência em questão. Muitas vezes se ignora o mofo e apenas se identifica essas questões, fazendo referencias como: todo ano nesse período me ataca a rinite.

Problemas de memória, confusão mental, falta de foco. Esses são os sintomas emocionais dessa personalidade homeopática. São espelho. Corpo e mente estão frente a frente, sem meio termo. É claro que pode ocorrer contaminação externa e os sintomas estão lá, mas, na gravidez, essa estrutura pode se estabelecer. Na velhice também, quando vemos as pessoas retornarem para os ambientes onde nasceram, sem se dar conta das estruturas as quais lhe parecem familiar.

Fadiga, fraqueza, mal-estar – antes de qualquer outro sintoma, entretanto é aí que podemos nos ater as infecções. Sabe aquela frase: Parece que vou gripar.

Cãibras, dor nas articulações, dores pelo corpo - o mofo faz isso, estagna, paralisa e contamina. Retira a vida dos processos.

Dormência e formigamento – Consequências comuns, difíceis de ligar uma coisa com a outra. Assim como a dor de cabeça, se manifesta mais pela manhã ao acordar.

Dor de cabeça – um sintoma comum, mas sempre seguido do cheiro do mofo. Ela é chata e persistente.

A sensibilidade à luz, com olhos vermelhos e a visão turva ou embaçada, podem vir juntos – bem comum para quem trabalha nesses locais e se acostuma com o mofo.
Olhos embasados com a sensação de frio interno – dentro deles – isso é próprio das alergias, mas segue um alerta para a contaminação por mofo.
Tremores, Vertigem, Sede excessiva, Aumento do volume da urina são secundários, acompanham esse desequilíbrio, raramente se dão a partir deles. Quando eles se fazem notar, você já está com o processo estabelecido.

Dor, náuseas, diarreia, alterações do apetite (especialmente pelo gosto do alimento) e incômodos abdominais, podendo chegar a cólicas.

Tem as variações do clima. Você sente muito calor e lá fora o tempo fecha e cai aquela chuva. Calor e umidade podem ser sintomas físicos, assim como ocorre no período com maior expansão do mofo – relacionado ao tempo.

Gosto metálico – frequentemente notado, após contato respiratório.

Você imagina que está ganhando peso – é inchaço. O mofo estagna a circulação, assim como contamina o ar.

Suores noturnos ou outros problemas com a regulação da temperatura especialmente quando achamos que nosso corpo está sempre quente – isso é um super sintoma para investigação.

Alguma biografia:

Penicillium glaucum. Whiting, A. Br Homeopath J; 34(4): 180, dec. 1944. Artigo em Inglês | HomeoIndex (homeopatia) | ID: hom-2954 


Nenhum comentário:

Postar um comentário